COMPARTILHANDO FATOS, IDÉIAS E VIDA ENQUANTO CAMINHAMOS

18 de set de 2007

No Divã - 30a. História

----- Original Message -----
From: SOU UM PAVIO QUE FUMEGA!
To: ana@caiofabio.com
Sent: Thursday, August 30, 2007 10:47 AM
Subject: Pavio que fumega!

Pr. Caio,

Sou um pavio que fumega, uma cana quebrada!

Ando muitíssimo extenuado e aflitíssimo. Passei por alguns processos que me foram dolorosos e que me deixaram claudicante.

Desde 1998 sofro de uma inadequação sem tamanho. Tudo começou quando fui expulso de um “certo" (conceituado) seminário teológico de uma determinada denominação de confissão "evangélica".

Fui colocado para fora por ter me apaixonado por uma seminarista. E isto era proibido! Vi-me na idade das trevas! Era vigiado e minha liberdade era cerceada por conta da referida moça.

Tudo que é proibido ganha contornos mais atrativos... Começamos a conversar e a flertar um com outro... Procuramos a direção da instituição na intenção de deixar às claras as nossas intenções (de namorarmos um com outro tão logo a referida moça obtivesse o "status" de estudante "veterana". Pois, a norma (quebrada) tratava-se da seguinte proibição: seminaristas " veteranos" não podiam namorar com "calouras" (o inverso também era verdadeiro). Mas com tanta pressão (interior e exterior) não agüentamos a pressão e passamos a nos encontrarmos às escondidas... Até que resolvemos que não cabíamos mais naquele lugar... Mas antes disso fomos expostos diversas vezes a situações vexatórias. Entretanto, nosso pedido de " dispensa" foi negado e fomos enxotados do seminário.

Após isto fui parar de pára-quedas no Tocantins (a família da minha esposa residia em Palmas/TO). Foi aí que meu inferno começou, pois a sogra (hoje uma mãe para mim), o cunhado, a cunhada, as tias e os tios da referida namorada iniciaram um processo de sabotamento da minha relação mesmo após nosso casamento.

Dentre outras situações vividas... Sofri difamação caluniosa (acusado de molestar uma criança - filha - de uma das "titias" da minha esposa) minha vida pessoal e profissional virou um caos.

Era professor de duas conceituadas instituições de ensino do Tocantins... Tive que pedir demissão devido a pressão causada pela “suspeição" que pairava sobre mim.

Sofri atentados de morte... exposições públicas e etc... E naquela altura já tinha duas filhas... Ano passado fui inocentado de todas estas acusações... Mas estou fatigado e com depressão.

Não sou o mesmo com minha esposa nem com minhas filhas... Ando extremamente irritadiço, impaciente e explodindo por nada ou por qualquer coisa. Temo pelo meu casamento e pela família que constituí.

Ajude-me por favor! Continuo morando em Palmas-TO e sofro de distrofia simpático-reflexa e de uma síndrome dolorosa miofascial. Iniciei um tratamento psiquiátrico (ando tomando remédios para a ansiedade e depressão).

Terminei meus créditos de dissertação do mestrado que estou fazendo em educação, contudo, digitar me é difícil e doloroso. Estou afastado do trabalho (serviço) há mais de um ano e nesse processo a depressão agravou-se. Tenho uma uma dissertação para escrever, e não me sinto em condições psicofísicas para fazê-lo.

Ajude-me. Preciso de suas orações e das dos irmãos do Caminho.

Grato,

Luciano
_________________________________________

Amado Luciano: Graça e Paz!

Não sabes? Não ouvistes desde o principio? Sim! Que o Senhor, o criador dos fins da terra, não se cansa e nem se fatiga? Não se pode esquadrinhar o Seu entendimento. Ele faz forte ao cansado e multiplica as forças ao que não tem nenhum vigor. Os jovens se cansam e se fatigam, e os moços de exaustos caem. Mas o que confiam no Senhor renovam as suas forças; sobem com asas como águias; correm e não se cansam; caminham e não se fatigam!

Ora, tudo o que está dito acima é verdade!

Se você deixar o passado passar e o sepultar; se você não se alimentar de sua justiça aviltada pela calunia; se você não se lembrar do que perdeu e olhar o que ganhou [hoje você ainda não vê]; se você abraçar os seus tesouros humanos: sua mulher e filhas; se você crer que seu problema é psíquico, e, por isso, tornou-se físico; se você levantar o espírito e der ordens de fé à sua alma; se você entender que a fraqueza vem do desmaio da esperança; se você compreender que a injustiça dos homens promove a Graça sobre nós; se aceitar que tudo coopera para o bem; se discernir que ficou livre das hipocrisias pela experiência de seu poder demoníaco; se disser “Eu quero ser curado”; se acolher o Sopro que acende a torcida fumegante e não se rebelar contra a delicadeza Daquele que levanta a cana quebrada; se descansar em Deus e parar de buscar lógicas para a perversidade; se perdoar a todos, ao mundo, ao seminário, aos familiares paranóicos, e às instituições de cristal; se apenas levantar-se, com dor ou sem dor; com pensa de si mesmo ou com raiva; mas erguer-se; e re-ler o que está dito acima, e crer; e não duvidar em seu coração — então, seu espírito se iluminará; sua alma se acenderá; e uma estranha força de confiança o fará voar, apenas para provar a você que você ainda pode correr e andar sem se cansar; tão somente confie ativamente no Senhor; e, se e quando [agora] ao Dele ouvir: “Levanta-se e anda” — não hesitar; e, assim, erguer-se; posto que de pé é que se anda, embora a força para tal nasça do paradoxo do descanso que confia e da confiança que descansada mas faz o que tem de ser feito; sem nem bem sentir que a cura já brotou sem detença, você estará curado.

Leia Isaías 58 todo; e, pratique a terapia ocupacional de solidariedade que cura, conforme ensinada pela Palavra que é Verdade!

Esse seu seminário original deveria se chamar Palavra da Morte!

Esqueça; e lembre do que ainda não é; mas que pela fé será.

Você crê?

Vem e vê! — diz Jesus a você!

Nele, que ressuscita os mortos,


Caio

30/08/07
Manaus
AM

Nenhum comentário: