COMPARTILHANDO FATOS, IDÉIAS E VIDA ENQUANTO CAMINHAMOS

1 de mar de 2010

O "CRISTO" PODIA SER DESTRUÍDO EM "2012"?

Fevereiro de 2010: A defensoria da cúpula católica romana no Rio de Janeiro se manifestou contrária a aparição do Cristo Redentor sendo todo espatifado e esquartejado no filme 2012, assim como o foram muitos outros símbolos e monumentos conhecidos por todos no Planeta. No enredo, a natureza mirou no "Cristo" porque, afinal e para nosso orgulho, agora ele é uma das novas sete maravilhas do mundo. Mereceu, então, ser incluído na trama! Eu, particularmente, tenho orgulho do "Cristo" ser digno de ser destruído no mesmo filme onde não sobra nada da Estátua da Liberdade. Essa, tadinha... Andou por aí em muitos filmes sendo destruída sozinha. Até no Planeta dos Macacos, a Estátua aparece caída!
Mas nossa Estátua não tem essa Liberdade. O "Cristo Redentor" não pode nem ser destruído em Hollywood por causa da FÉ CRISTÃ: Em 2008, a igreja, através da Arquidiocese do Rio, já havia negado ao diretor que usasse a alegada imagem quando a empresa de entretenimento fez pedido oficial para utilizar o cartão postal da cidade no filme a ser rodado.
Contudo, apesar da negativa, lá estava o Cristo sendo implodido pela força das águas apocalípticas numa película onde isso é mero detalhe, considerando que TUDO vai abaixo, numa cascata ininterrupta de imagens de destruição. A obra do filme é botar abaixo, taca fogo em tudo, matar todo mundo no Mundo todo, sem esquecer um enredinho romântico tipicamente norte-americano em meio ao caos.
Mas a Igreja não gostou... De novo... Cansa até...

 
Esse enredo Religião x Ficção é tão óbvio quanto nossos filmes apocalípticos. Veja:
 
1. A vida humana pós-moderna ficou engraçada: De um lado está a Igreja Guardiã Moral da Humanidade, tentando organizar o caos mundial na maior cara de pau, pois não dá conta de guardar o "pau" nem de seus clérigos! (Desculpem, não pude perder o trocadilho infame). De outro lado, é o Mundo teimando em desobedecer cada recomendação, na maior cara-de-pau (Sim, pois afinal é TODO MUNDO católico!). O tempo todo é assim. A igreja ainda sofre da síndrome de Mônica - mandona e ameaçadora em suas encíclicas, bulas papais, abstinências sexuais, excomunhões, condenações, etc. E agora, tem que lidar com um planeta que resolveu que o Vaticano não passa de museu! Um Estado-museu que chamou para si a responsabilidade de cuidar do patrimônio cristão no mundo. A Igreja Católica é a arqueólogo oficial da Cristandade. (Título merecido, admito).

 
2. Dessa observação decorre uma outra: Quem disse que o Cristo é patrimônio cristão? Cristo nunca foi cristão! Nem Cristo Jesus e nem o Cristo Redentor. Esse último é de toda a cidade do Rio de Janeiro – uma das novas sete maravilhas do mundo em plena cidade maravilhosa! O "Cristo" é também o logotipo de todo um estado da União, e por causa dele, em especial, o "Rio de Janeiro continua lindo!" O "Cristo" é de todos.
Mas a "Mônica" pensa que ele é o "Coelhinho" dela! Alegação: Sacrilégio. Sempre a mesma alegação. Sempre igual. Sem nada original. É, para a Madre Igreja, uma irreverência a um monumento cristão, definitivamente.

 
3. Mas será mesmo que a Igreja não sabe que o "Cristo Redentor" não pertence à fé cristã, mas a todos os que o visitam para fins turísticos? Ou você já viu alguém fazer ao menos o sinal da cruz quando sobe ao "Cristo"? A gente sobe lá em cima, pra ver como é olhar pra baixo, a 700 metros de altura. Só. Além de tirar fotos de celular e filmar a galera curtindo...
O "Cristo" é um mirante. Um mirante "santo". Nessa semana ele virou o Monte Sinai brasileiro! Foi diminuído à uma "Imagem Católica" mesmo sem velas e sem pagadores de promessas. O Corcovado é nosso Monte Sinai! Mas falta avisar aos seus visitantes. Ou você já viu a estátua ser referenciada como um "santo" carioca ou nacional? Padroeiro, ao menos? Já viu alguém se afastar de costas do Cristo de pedra, em adoração?

 
A verdade é crua: Não é por causa de Cristo que se sobe ao "Cristo"! O "Cristo Redentor" não se pretende devocional.
"- Vou pagar uma promessa indo passear no Rio e subindo ao Cristo Redentor?"
Já pensou? Combina? Combina a promessa penitencial com o afã turístico em torno do Corcovado?
Ali se fazem orações e missas ou muitas fotografias e venda de suvenires?
Ora, nem cristão vai no "Cristo" para cristalizar Nele sua Fé!
Então, como a Católica não é trouxa, e "tudo sabe, tudo pode, tudo vê" em seus muitos séculos de esperteza, tudo que a Arquidiocese quer ao acionar seus advogados é só o que os diretores de cinema querem com o calendário maia: DINHEIRO!

 
Acompanhem o seguimento dessa história. Depois do pedido de retratação a ser expedido; virá o pedido de indenização!
Pergunta: Indenização ao Brasil que teve seu símbolo ficticiamente destruído num filme-propaganda gratuita? Não. Nada disso! Indenização à Arquidiocese do Rio.
E outra pergunta: E 'how much" a Arquidiocese paga pelo presente francês à ex-capital brasileira? O "Cristo" é da Católica? Desculpem-nos. Nem eu e nem o resto do país sabíamos!
Pois é, Hollywood não abre mão de uma casquinha do Cristo no filme; e a "Igreja" não abre mão de uma boa gorjeta americana.
Quem mandou querer destruir o que temos de mais sagrado!!! - devem estar justificando...

 
Meu Deus, é muita bestialidade e palhaçada. A vida imita a arte, e a arte imita a vida. Religião e Ficção. Irmãs. Têm o mesmo pai, e só pensam em grana! Como nos cultos neo-pentecostais onde "Jesus" é vendido como numa feira! Sim, Jesus é produto! Jesus é business!
Aí de nós se o mundo não acabar em 2012!
Mas como diz a publicidade do filme: Nós fomos avisados!

 
Em Cristo, verdadeiramente Redentor de quem O visita na alma, sem pagar... De Graça!

Marcelo Quintela
Santos/SP

Nenhum comentário: