COMPARTILHANDO FATOS, IDÉIAS E VIDA ENQUANTO CAMINHAMOS

11 de set de 2011

Você Gosta de Saber de Tudo?

Não ponha o teu ouvido a ouvir tudo o que dizem, para que não ouças o teu servo amaldiçoar-te” — diz a Sabedoria do livro do Eclesiastes.

Mas quem é que não quer saber de tudo?...
Sim, especialmente do que se diga acerca da própria pessoa?...
Há um saber o que se diz que é necessário...; afinal, nenhum de nós se enxerga por completo [ou quase nada...], e, portanto, é sadio saber o que gente de bem e sóbria tenha a dizer sobre nós.
Entretanto, é aí que deve parar o interesse!...
Sim, pois ouvir tudo e todos é loucura, posto que as impressões das pessoas frequentemente se fundamentem em fantasias decorrentes da inveja, da transferência ou das próprias projeções pessoais de cada um sobre os outros...
Ninguém deve julgar ninguém, nem quando a pessoa se mostra por inteiro...
No entanto, há âmbitos nos quais não se pode escapar do que se perceba [e aí se tem que dizer...], como também não há como escapar de se ser interpretado pelos outros... [especialmente pelos que não nos conhecem] — em ambos os casos, no entanto, tem-se que dar ouvidos ao que proceda e esquecer o que não proceda.
A Sabedoria manda ouvir os pais, os amigos sinceros, os mais velhos, às circunstâncias, e, sobretudo, à Palavra da Vida!
Este é o circulo de saúde que se deve ter e a ele se deve dar ouvidos, com humildade e atenção sempre; pois, mesmo quando estão enganados, o que dizem é por amor e visando o nosso bem.
Há muito que parei de ouvir tudo o que dizem...
Entretanto, dou graças a Deus pela minha mãe, que, mais do que meu pai, muitas vezes me confrontou já adulto; sendo que as últimas vezes foram quando do meu divórcio [ela tinha uma opinião sabia, que eu não ouvi...], e, depois, em 2005, quando me escreveu uma carta me dizendo sentimentos dela sobre a minha alma, o que me fez muito bem; embora, em algumas coisas, eu julgasse que ela não estava 100% certa.
Mas e daí?...
Afinal, as feridas feitas pelo que ama sempre produzem bom fruto no coração do filho que deseja ser alegria para sua mãe.
Assim, digo a você:
Não pare para ouvir fofocas, nem sobre os outros e nem sobre você!
Todavia, mesmo que doa, ouça os que amam você; pois, mesmo quando equivocados, tais equívocos são apenas fruto do amor corajoso e que busca corrigir a quem se ama.
Se o que digo for bom para alguém hoje, amanhã ou depois, que se faça bom proveito então...
Só sei uma coisa: viver assim faz bem ao espírito de todo homem!

Nele,

Caio
14 de agosto de 2009
Lago Norte
Brasília
DF

Nenhum comentário: